LGPD: Proteção de dados pessoais e privacidade no Brasil

jul 12, 2023 | Blog, Marketing

Descubra como a LGPD está transformando a proteção de dados pessoais e privacidade no Brasil. Saiba mais sobre suas implicações práticas e como as empresas estão se adaptando para garantir conformidade com a lei. 

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) foi criada diante da necessidade de proteger a privacidade e segurança dos dados pessoais em um mundo cada vez mais conectado e digitalizado. São importantes leis e regulamentos que asseguram os direitos dos indivíduos e estabelecem responsabilidades claras para as empresas.  

Nesse contexto, LGPD entra em cena como um marco regulatório para o Brasil. Neste texto, exploraremos o motivo, a importância, os benefícios, os cuidados que as empresas devem tomar e suas possíveis punições. 

O que motivou a criação da LGPD e qual a sua importância? 

A criação da LGPD foi motivada pela necessidade de garantir aos cidadãos brasileiros o direito à privacidade e o controle sobre suas informações. Com o aumento do número de casos de vazamento de dados e violações de privacidade, tornou-se essencial estabelecer um conjunto de regras para orientar a coleta, o armazenamento, o tratamento e a utilização de dados pessoais pelas empresas. 

A lei é de extrema importância porque oferece uma estrutura legal para a proteção dos dados individuais, trazendo benefícios tanto para os detentores dos dados quanto para as empresas.  Ao garantir a privacidade e a transparência, a lei fortalece a confiança do público em relação às empresas e seus serviços, estimulando assim a inovação e o crescimento econômico. Além disso, ela alinha o Brasil com outras legislações internacionais, facilitando a transferência de dados entre países. 

Benefícios da LGPD  

  • Proteção dos direitos individuais 

Assegura aos indivíduos o direito de acessar, corrigir, excluir e limitar o uso de seus dados pessoais, proporcionando maior controle sobre suas informações.  

  • Transparência e confiança 

 Estabelece a necessidade de consentimento explícito para a coleta e o uso de dados, promovendo a transparência nas práticas empresariais, gerando confiança entre os usuários e as empresas. 

  • Incentivo à segurança de dados 

Incentiva as empresas a implementarem medidas de segurança adequadas para proteger os dados pessoais, reduzindo assim o risco de violações e vazamentos. 

  • Estímulo à responsabilidade corporativa 

Responsabiliza as empresas pelo tratamento adequado dos dados pessoais, garantindo que elas sejam conscientes e responsáveis na gestão dessas informações. 

Medidas que as empresas devem adotar 

Para cumprir com os requisitos da LGPD, as empresas devem seguir medidas específicas, tais como: 

  • Nomear um Encarregado de Proteção de Dados (DPO – Data Protection Officer)

Essa pessoa será responsável por supervisionar a conformidade com a lei dentro da organização.

  • Realizar uma análise de impacto  

É essencial identificar e avaliar os riscos associados ao tratamento de dados pessoais, a fim de implementar medidas adequadas de proteção. 

  • Obter o consentimento explícito 

As empresas devem obter a autorização dos indivíduos antes de coletar e utilizar seus dados pessoais, explicando claramente como esses dados serão utilizados. 

  • Garantir a segurança dos dados 

Implementar medidas de segurança apropriadas para proteger os dados pessoais, como criptografia, autenticação e controle de acesso. 

  • Manter registros 

As empresas devem manter registros detalhados de suas atividades de tratamento de dados, incluindo a finalidade da coleta, o período de retenção e a base legal. 

Além dos procedimentos organizacionais citados acima, também é necessário se atentar para medidas no âmbito digital, no que diz respeito à coleta e manutenção de dados, por exemplo: 

Impacto em mídias online e rastreamento

  • Cookies 

Os cookies são arquivos pequenos que os websites armazenam no computador ou dispositivo do usuário para coletar informações sobre suas preferências e atividades online. Com a LGPD, é necessário obter o consentimento prévio e específico do usuário antes de utilizar cookies que coletam dados pessoais. As empresas devem fornecer informações claras sobre quais dados serão coletados, a finalidade dessa coleta e com quem esses dados serão compartilhados.  

  • Rastreamento online 

 A LGPD busca regulamentar as práticas de rastreamento online, como o monitoramento de comportamento de navegação e a criação de perfis de usuário. As empresas devem informar os usuários sobre as atividades de rastreamento e obter seu consentimento explícito. Além disso, é necessário fornecer mecanismos para que os usuários possam controlar e revogar o consentimento para o rastreamento. 

  • Anúncios direcionados

A LGPD também tem implicações para anúncios direcionados, os quais são baseados nos interesses e comportamentos do usuário. As empresas devem informar claramente aos usuários sobre a coleta de dados para esse fim e obter seu consentimento.
Os usuários também devem ter a liberdade de optar por não receber esse tipo de impacto customizado.

  • Provedores de serviços de terceiros

As empresas que utilizam provedores de serviços de terceiros para coleta, processamento ou análise de dados pessoais devem garantir que esses provedores estejam em conformidade com a LGPD. Isso inclui a celebração de contratos que estabeleçam as responsabilidades e obrigações dos provedores de serviços em relação à proteção de dados pessoais.

  • Direito ao esquecimento

A LGPD prevê ainda o direito ao esquecimento, que permite que os usuários solicitem a exclusão de seus dados pessoais por parte das empresas. Isso significa que as empresas devem implementar mecanismos para atender a essas solicitações e excluir os dados dos usuários quando requisitado.

Punições por não conformidade da LGPD

A LGPD prevê uma série de sanções para as empresas que não cumprirem suas disposições. As punições podem incluir advertências, multas de até 2% do faturamento anual (limitadas a R$ 50 milhões por infração), bloqueio ou eliminação de dados, além da suspensão das atividades relacionadas ao tratamento de dados. Em casos mais graves, a empresa pode enfrentar ações civis e processos judiciais movidos por indivíduos afetados.  

Conclusão 

A LGPD inclui uma série de sanções para as empresas que não cumprirem suas disposições. As punições podem incluir advertências, multas de até 2% do faturamento anual (limitadas a R$ 50 milhões por infração), bloqueio ou eliminação de dados, além da suspensão das atividades relacionadas ao tratamento de dados. Em casos mais graves, a empresa pode enfrentar ações civis e processos judiciais movidos por indivíduos afetados.

Cadastre-se em nossa News e fique por dentro das dicas e conteúdo que postamos semanalmente. 

Confira outros posts